Chuva Fria

Adriana Freitas


Chuva fria espanta o medo.
A chuva fria não congela mais a alma.
Esfria a pele, eriça o pêlo.
Aquece o peito.
Enchendo o corpo de desejo.
A chuva é fria.
Mas as suas gotas queimam como brasa.
E quando ele vem não há abrigo.
Não há teto.
Não há nada.
Quando ela vem
O bom mesmo é abrir os braços
E sair de casa.
Adriana Freitas
A reprodução do texto está autorizada desde que a fonte/autoria seja citada.

Ver o post original

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: